São Paulo – Contratada pela Heineken, a brasileira Priscila Fins foi duas vezes à sede da empresa em Amsterdã, na Holanda, participou da estruturação de um projeto global e chegou a conhecer o chefão da cervejaria, o CEO Jean-François van Boxmeer. Os feitos podem até sugerir um cargo de alto escalão no cartão de visitas da colaboradora. Mas Priscila, ex-estagiária, tem apenas 22 anos.

Por trás do seu giro pelo mundo está uma iniciativa da Heineken para promover a inovação entre quatro paredes. Aberto para os funcionários de todas as subsidiárias do grupo, independente de idade ou ocupação, o Heineken Idea Contest funciona por alguns meses em uma plataforma parecida com uma rede social. Os usuários postam suas sugestões, que podem ser aprovadas e comentadas pelos demais.

Como nos virais que rodam a internet, a visibilidade do palpite cresce à medida que ele recebe mais e mais pitacos. Foi assim com a ideia de Priscila. Analista de inovação da Heineken, ela apostou no lançamento de uma cerveja com vitaminas.

Inspiração

“A inspiração surgiu no fim de semana e veio dos vinhos”, diz Priscila. “Todo mundo ouve falar que é saudável tomar um cálice por dia. Mas para a categoria de cervejas, as pessoas pensam mais na ocasião de consumo, em estar com os amigos em um bar, por exemplo. Ou então na barriguinha de chope.”

Para promover associações mais positivas e ligadas ao bem estar, Priscila pesquisou os benefícios nutricionais da cerveja em uma rápida busca na web. O que encontrou a convenceu que era possível explorar esses atributos, investindo em uma cerveja concentrada em vitaminas. “Recebi feedbacks super positivos de pessoas que nunca tinham pensado nisso. Alguns falaram sobre viabilidade e pontos técnicos de produção”, conta.

A ideia chegou a ocupar o primeiro lugar no ranking de comentários do concurso. Terminada a etapa de sugestões, Priscila foi avançando no processo seletivo, conduzido por uma comissão julgadora da Heineken, até ficar entre os 15 concorrentes no mundo todo escolhidos para participar de um workshop em Amsterdã. A partir daí, foram formados três grupos de trabalho que deveriam mostrar à direção da empresa uma única proposta de inovação.

Junto com funcionários da Heineken de lugares como França e Bulgária, Priscila bolou outra proposta: cápsulas de sabores diferentes que, acopladas a um dispositivo específico, fariam a cerveja sair mais ou menos amarga, com cor distinta e até com sabor de fruta.

Com os integrantes de volta aos seus países de origem, o grupo teve dois meses para fazer o projeto tomar corpo. A apresentação do protótipo aconteceu em feira de inovação da Heineken em Amsterdã, com a presença dos mais altos executivos da empresa.

Aplicação comercial

Ao cabo do evento, que contava com fichas para votação, a proposta não saiu vencedora. Mas Jean-François van Boxmeer, CEO global da Heineken, afirmou que, pela primeira vez, as três ideias seriam levadas para testes com o público, já que todas tinham relevância do ponto de vista do consumidor.

Ainda não se sabe se as cápsulas chegarão ou não às mesas de bar. Se o time global da Heineken der sinal verde, o desenvolvimento do projeto volta às mãos de Priscila e seu grupo.

Para Ligia Patrocínio, gerente de inovação da Heineken no Brasil, o benefício vai além da satisfação pessoal que um concurso como esse leva aos funcionários que se sagram vencedores. “Ele acaba funcionando como um incentivo ao mostrar para o restante da empresa que, independente do nível hierárquico, qualquer contribuição pode ganhar o reconhecimento da cúpula global. Muito dificilmente uma funcionária com essa idade chegaria a esse ponto”, afirma.

Na visão do consultor em gestão de pessoas Eduardo Ferraz, a iniciativa vai ao encontro de uma realidade do mercado: com poucos profissionais capacitados, as companhias que não treinam e motivam adequadamente os colaboradores acabam perdendo talentos para a concorrência. E não é apenas o dinheiro ou a segurança que entram em jogo. Segundo Ferraz, aprendizado e status também seriam valorizados pelos empregados hoje em dia – atributos que a Heineken parece disposta a promover com seu concurso anual de ideias.

http://exame.abril.com.br/negocios/gestao/noticias/como-na-heineken-funcionaria-de-22-anos-conhece-ceo-global?page=1

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.