São Paulo – Algumas alterações na rotina da equipe podem fazer os funcionários produzirem mais rápido e com melhor qualidade, além de solucionar outros problemas de atrasos e frustração dos colaboradores.

De acordo com Eduardo Ferraz, consultor em gestão de pessoas e autor de livros sobre o tema, é fundamental que os chefes verifiquem o desempenho de cada pessoa a fim de explorar os pontos fortes.

Veja abaixo oito dicas para melhorar e aumentar a produtividade da equipe:

1 – Conhecer a personalidade dos funcionários – A estrutura psicológica de um adulto muda muito pouco após os 20 anos de idade, segundo Ferraz. É impossível que as pessoas tímidas tornem-se comunicativas.

Já os extrovertidos jamais serão introvertidos. “O que um adulto consegue fazer, por exemplo, é aprender a lidar com a timidez por meio de algumas técnicas para aparentar ser extrovertido durante uma apresentação, mas ele jamais deixará de ser tímido”, afirma.

Ainda de acordo com Ferraz, identificar os pontos fortes de cada funcionário pode parecer uma tarefa simples, mas os diretores não sabem que esta é uma ação importante. “O chefe também deve ter a consciência do que ele pode mudar em si mesmo. Consequentemente, ele também entenderá melhor os outros funcionários”, diz.

2 – Não forçar a natureza das pessoas – O especialista recomenda reavaliar as atividades atribuídas a um colaborador depois de identificar a personalidade dele, segundo Ferraz.

Não é bom cobrar uma apresentação em público de uma pessoa tímida, por exemplo. Considere mudar as funções e o ambiente de trabalho. “É uma violência indicar um curso de teatro para desinibir uma pessoa ou aumentar o salário para torná-la coordenadora se ela não possui as habilidades necessárias”, diz.

3 – Explorar os pontos fortes – Funcionários exigentes, teimosos, desconfiados ou com outras características avaliadas como inadequadas podem atuar em tarefas que demandam estes comportamentos.

“Com certeza a empresa aumentará a produtividade ao usar os pontos fortes de cada funcionário em atividades onde ele possui facilidade ou em situações que requerem uma determinada personalidade”, afirma Ferraz.

O consultor afirma que as empresas menores percebem ainda mais este resultado porque a pessoa pode chegar a triplicar a sua produtividade e a companhia pode deixar de gastar com contratações.

4 – Identificar o perfil ainda na entrevista de emprego – É fundamental que o recrutador avalie o histórico profissional do candidato antes da contratação e leve em consideração a personalidade do colaborador, de acordo com Ferraz.

“Todas as pessoas deixam um rastro nas empresas aonde atuaram. Em uma entrevista de aproximadamente meia hora de duração é possível avaliar os fracassos, os sucessos, o histórico escolar e a personalidade do candidato. O objetivo é prever o futuro da atuação da pessoa”, afirma Ferraz.

5 – Indicar a prática deliberada – Significa mostrar os benefícios do treinamento consciente. “É usar o esforço para melhorar o que está bom por meio de técnicas, estudo e repetição”, diz Ferraz.

“Estudar inglês durante dois anos e obter um diploma é uma prática. Já a prática deliberada é testar o idioma e usar o que aprendeu na aula do dia anterior”, afirma. O objetivo é buscar a excelência ao fazer as tarefas durante o experiente.

6 – Definir metas ousadas – Mas antes, o chefe precisa ter autoridade e dar o exemplo ao exigir, por exemplo, o aumento do faturamento ou a redução de custos.

O coordenador deve demonstrar que trabalha 20% a mais ao definir um crescimento da mesma proporção, segundo Ferraz. “Se isso não ocorrer, tudo continuará da mesma maneira e criará uma situação na empresa de “o chefe finge que mando e o funcionário faz de conta que obedece””, diz.

7 – Cobrar os resultados – É necessário que o coordenador da equipe verifique os resultados de cada pessoa. “Não recomendo criar metas globais. Alguns funcionários trabalharão mais do que outros e vão ganhar mais e fazer menos”, diz.

Segundo Ferraz, as pessoas conseguem um desempenho até 30% a mais quando as metas são justas e avaliadas individualmente.

8 – Estabeleça a meritocracia – Esta é a consequência do trabalho realizado. De acordo com o consultor, é necessário reconhecer a ação se o funcionário ultrapassa a meta estipulada.

“A melhor forma de premiar uma boa atuação é conceder um aumento salarial, sem distinção por tempo de casa. Já as pessoas que demonstram um rendimento fraco recebem um aviso e os colaboradores que ficaram abaixo do marco são substituídos”, diz Ferraz.

http://info.abril.com.br/noticias/carreira/veja-8-dicas-para-fazer-a-equipe-produzir-mais-26032012-1.shl

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.